Pra fazer história nas Olimpíadas, tem receita: esforço, dedicação e muita superação.

Na primeira semana dos Jogos Olímpicos de Tóquio, os atletas brasileiros estão fazendo história e mostrando como um sonho pode se tornar realidade quando há muito empenho pessoal, dedicação e superação.

Todos sabemos que o esporte faz bem para a saúde, promove o desenvolvimento físico e mental, além de ser um grande professor em matéria de disciplina. Por isso o esforço para ser atleta de alto nível não é pouco.

O que se pode dizer então de Rayssa Leal, a pequena de 13 anos que se tornou a mais jovem medalhista olímpica brasileira, justamente numa das modalidades que estreiam nestes Jogos – o skate?

Como você já deve ter visto, Rayssa Leal ganhou o apelido de Fadinha porque num vídeo caseiro – ela então com 7 anos, usando uma fantasia de fada – praticava um movimento do skate superdifícil e só parou de tentar quando conseguiu. Já sinalizava que tinha foco e determinação!

Ítalo Ferreira não chegou por acaso à medalha de ouro no surfe, outra modalidade estreante nas Olimpíadas. Campeão mundial de surfe em 2019, ele começou a surfar aos 8 anos, com pranchas emprestadas e, muitas vezes, chegou a usar a tampa da caixa de isopor do pai, que vendia peixes. Superação que fala, né!

Dois exemplos definitivos que nos lembram que nada cai do céu pra ninguém e que está sempre nas nossas mãos encontrar nossa paixão e correr atrás!

Parabéns a todos os nossos atletas que nesta primeira semana dos Jogos de Tóquio já deram ao Brasil cinco medalhas: além de Rayssa e Ítalo, Kelvin Hoefler, também prata no skate; Fernando Scheffer, na natação, e Daniel Cargnin, no judô até 66 kg, ambos com medalhas de bronze.

E vem mais por aí!

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe seu comentário

Para você não se esquecer da gente